Indústria ganha competitividade com fábrica de estirenos na BA
13/10/2008

A compra da fábrica de estirenos da Dow Química na Bahia pela Unigel, que deve entrar em operação até o final deste ano, poderá fortalecer o mercado nacional deste produto em época de dólar alto. Essa é a avaliação do consultor para o mercado petroquímico da Maxiquim, Otávio Carvalho que estima o preço da tonelada em US$ 1,6 mil no mercado internacional. Segundo números fornecidos pelo consultor, em 2007, a produção nacional de estirenos foi de 428 mil toneladas, insuficiente para atender a toda demanda nacional, pois houve necessidade de importar outras 170 mil toneladas. A fábrica adquirida na Bahia, e que estava desativada, terá a capacidade de produzir 160 mil toneladas, mas poderá ser ampliada para até 220 mil. "Esse fato pode ajudar as empresas nacionais que utilizam o estireno em seus produtos, a ter maior competitividade", disse Carvalho. Entre os setores que mais utilizam o estireno estão a construção civil, tintas, compact discs e plásticos. Com a aquisição, a Unigel se transformará no maior produtor de monômero de estireno, com uma produção de 280 mil toneladas anuais.

(Fonte: DCI)