Refinaria Ipiranga tem nova superintendente
08/09/2008

A refinaria Ipiranga, adquirida em março de 2007 pela Petrobras, Braskem e grupo Ultra, vai focar as operações na produção de asfalto, nafta petroquímica, óleo para navios, solventes e diesel para retomar, em dois meses, a plena utilização da capacidade instalada e voltar ao lucro ou pelo menos ao equilíbrio em 2009, informou a nova diretora superintendente, Margareth Brunnet. Funcionária de carreira da Petrobras, Margareth é gaúcha e assumiu sexta-feira (5) o cargo que era ocupado por Elizabeth Tellechea, representante de uma das famílias que controlava o grupo Ipiranga. De acordo com ela, por ser de pequeno porte, a refinaria vai priorizar segmentos para os quais tem mais "vocação". A unidade, que fica em Rio Grande, no sul do Rio Grande do Sul, tem capacidade para refinar 17 mil barris de petróleo por dia, mas vem operando bem abaixo desse patamar. A refinaria já tem matéria-prima garantida da Petrobras, da Argentina e da Bolívia para produzir asfalto e nafta até outubro e os demais derivados devem entrar em linha em seguida. A produção será voltada para o mercado regional, além da Copesul, do pólo petroquímico de Triunfo, que absorve a nafta. No ano passado, quando teve receita bruta de R$ 1,2 bilhão e receita líquida de R$ 837,4 milhões, a unidade ainda apurou lucro líquido de R$ 2,8 milhões. Para 2008, a projeção é de R$ 860 milhões de faturamento bruto e R$ 616 milhões de receita líquida, mas o exercício deverá fechar com prejuízo, disse Margareth.


(Fonte: Valor Econômico)