Consumo aparente de resinas plásticas cresce no primeiro semestre
18/07/2008

Sindicato da Indústria de Resinas Plásticas (Siresp), julho de 2008 – O consumo aparente (produção somada às importações e extraídas as exportações) aumentou no primeiro semestre de 2008 em 13,5% em relação ao mesmo período do ano passado, com movimentação de 286,1 mil toneladas.

O destaque fica por conta do Policloreto de Vinila (PVC), com crescimento de 40,5% (de 390,2 mil toneladas para 548,1 mil toneladas). Logo na seqüência, o Polietileno de Alta Densidade (PEAD), obteve aumento de 18,5% (passou das 363,5 mil toneladas para 430,8 mil toneladas). O Polietileno de Baixa Densidade Linear (PEBDL) obteve 12,2% de aumento (de 273,2 mil toneladas para 306,6 mil toneladas). O Polietileno de Baixa Densidade (PEBD) obteve crescimento de 7,6% (de 272,5 mil toneladas para 293 mil toneladas). O consumo Polipropileno (PP) aumentou 2,9%, passando das 605,3 mil toneladas de 2007 para 622,8 mil toneladas em 2008 (primeiro semestre).

A demanda do mercado brasileiro de resinas plásticas também aumentou. O crescimento foi e 251,4 mil toneladas (11,8%) no acumulado do primeiro semestre de 2008, em relação ao mesmo período do ano passado. Mais uma vez, o PVC se destaca, com aumento de 31,9% (de 405,2 mil toneladas para 534,5 mil toneladas). O PEBDL, obteve o segundo maior crescimento – de 17,2% (de 282,5 mil toneladas para 331,2 mil toneladas,). O PEAD teve 10,3% de aumento de demanda (de 364,1 mil toneladas para 401,8 mil toneladas), o PEBD teve 4,6% de aumento (de 273,7 mil toneladas para 286,3mil toneladas) e o PP contabilizou 4,5% de aumento (de 602,9 mil toneladas para 630,2 mil toneladas).

As vendas internas, que contabilizam apenas os produtos de fabricação nacional, apresentaram aumento de 3% em relação ao mesmo semestre de 2007, o que representa a comercialização de 52 mil toneladas de resinas plásticas. O PVC, novamente, apresenta a maior elevação, com 6,1% (de 312,3 mil toneladas para 331,4 mil toneladas). Na seqüência, o destaque é para o PEBDL, com o aumento de 5,3% (de 185,8 mil toneladas para 195,6 mil toneladas). As vendas internas de PP aumentaram 4,3% (de 463,6 mil toneladas para 483,6 mil toneladas). Já o PEAD teve aumento de 2,3% (de 307,6 mil toneladas para 314,6 mil toneladas).

As vendas internas para exportação (VIPE) cresceram 2,7% no primeiro semestre do ano, o que representa 92 mil toneladas. As resinas que apresentaram maior expansão nas vendas VIPE foram o PEBDL com crescimento de 88,6% (de 6,7 mil toneladas para 12,6 mil toneladas); o PEBD, com aumento de 65,3% (de 7,5 mil toneladas para 12,4 mil toneladas); o PEAD, com um crescimento de 51,8% (de 4,5 mil toneladas para 6,8 mil toneladas).

O PVC também foi a resina de destaque na produção do semestre, com crescimento de 8,5% comparado ao ano passado – 28,7 mil toneladas a mais.



Informações adicionais à imprensa
Contatar Yellow Comunicação
(11) 30614074
Marcio Freitas
www.yellowcomunicacao.com.br