Novo executivo da Braskem prioriza negociação da nafta
03/07/2008

O executivo Bernardo Gradin, que assumiu nesta quinta-feira (3) a presidência da Braskem, elegeu como uma das prioridades da companhia a equação da questão da matéria-prima, o que passa pela negociação de um novo modelo de pagamento pela nafta junto à Petrobras. Gradin afirmou, em encontro com a imprensa, que as negociações estão em curso e que está "otimista de que elas sejam concluídas neste ano". De qualquer forma, salientou, "é menos importante para mim o prazo do que uma negociação bem feita". "É uma estratégia central, crucial, resolver a questão da matéria-prima", disse ele, admitindo, no entanto, que "não se trata de uma questão trivial e, por isso, a estratégia específica ainda não pode ser amplamente revelada". Gradin adiantou que "há uma clara boa vontade das duas empresas de resolver a questão de forma satisfatória". Ele reconheceu que a negociação não é isolada entre Petrobras e Braskem, mas envolve também a Quattor (empresa na qual a Petrobras detém 40 por cento), outra grande consumidora de nafta para o uso petroquímico.

O executivo espera que o volume de compra de cada uma das empresas seja levado em conta pela Petrobras. "A Petrobras terá o papel de equilibrar a negociação com os dois grandes compradores do mercado." O contrato entre Braskem e Petrobras para o fornecimento da nafta venceu em 30 de junho e, desde então, vem recebendo aditivos "com absoluto bom senso", segundo Gradin. Ele afirmou que o relacionamento entre as duas companhias permanecerá assim "até que as negociações em curso desenhem o modelo do novo contrato". José Carlos Grubisich, que passou o cargo a Gradin, destacou que o novo presidente participou de toda a criação e montagem da estratégia da Braskem, já que presidia a OPP Trikem, uma das empresas incorporadas à companhia petroquímica. "Ele conhece a equipe, a estratégia, os negócios e todos os cantos e gavetas da Braskem", afirmou Grubisich. Segundo os dois executivos, o projeto de sucessão já estava programado para este, que eles chamaram de segundo ciclo na vida da companhia criada em 2002: o ciclo da participação na consolidação do segmento e na internacionalização. "Já inicio meu mandato tendo a missão de formar meu sucessor. Espero que o Grubisich tenha sido bem-sucedido nessa sua tarefa", afirmou Gradin.

(Fonte: Reuters)