Complexo Industrial de Camaçari ganhará 26 novos projetos de expansão e implantação
30/06/2008

Após passar por um período de estagnação, com poucos investimentos e até fechamento de fábricas, a exemplo da Rio Polímeros, Bayer e Ciba, o Pólo Industrial de Camaçari dá sinais de que pode estar iniciando um novo ciclo. Pelo menos este era o tom dos discursos e o desejo das lideranças empresariais e políticas que se reuniram ontem na Associação Comercial da Bahia, no Comércio, para comemorar os 30 anos de fundação do complexo. A “injeção de ânimo” para esta nova fase foi confirmada com o anúncio de investimentos da ordem de US$4,2 bilhões – o equivalente a R$6,7 bilhões – ao longo dos próximos quatro anos.

De acordo com o novo presidente do Comitê de Fomento Industrial de Camaçari (Cofic), Marcelo Lyra Amaral, mais de US$2,28 bi serão direcionados especificamente para o setor de química e petroquímica e US$1,35 bi para o segmento automotivo. Também estão previstos recursos na indústria de papel e celulose (US$425 milhões) e na metalurgia (US$150 milhões). Serão implementados 26 novos projetos, entre expansão e implantação, de um total de 13 empresas do complexo. Ao anunciar os investimentos, Amaral entregou ao governador Jaques Wagner a “Carta do Pólo Industrial de Camaçari”, uma espécie de agenda empresarial positiva que, após várias discussões, resultou em diversas propostas de ações voltadas para o aumento da competitividade do complexo. “Este documento traduz a essência de um trabalho conjunto e cristaliza os anseios para consolidação do futuro do Pólo”, disse. O trabalho terá como foco sete áreas prioritárias: assuntos fiscais e créditos de ICMS; infra-estrutura e logística; matérias-primas e matriz energética; pesquisa, desenvolvimento e tecnologia; formação de mão-de-obra; revisão do Plano Diretor do Pólo, e expansão e diversificação industrial.

O presidente da Ford Brasil e Mercosul, Marcos de Oliveira, disse que a importância do Pólo Industrial para a Bahia é inquestionável. “Temos orgulho de fazer parte desta história”, declarou, completando que a Ford investirá na Bahia “boa parte” dos U$2,2 bilhões de investimentos previstos pela empresa no Brasil. No evento, também estiveram presentes o presidente da Braskem, José Carlos Grubisich; o diretor de relações institucionais da Dow Brasil, Marconi Andraos; o fundador do grupo Odebrecht, Norberto Odebrecht; o senador Antonio Carlos Júnior, entre outras autoridades e líderes empresariais. O Pólo de Camaçari projeta uma necessidade de pelo menos 5.029 novos profissionais nos próximos cinco anos. A necessidade de mão-de-obra qualificada é uma das preocupações citadas na “Carta do Pólo”. Hoje, o Pólo de Camaçari conta com 15 mil trabalhadores atuando diretamente nas empresas do complexo e outros 20 mil em empresas terceirizadas.

(Fonte: Correio da Bahia)