Consumo de etanol pela Braskem pode chegar a l,5 bilhão de litros
04/06/2008

A Braskem consumirá 450 milhões de litros de etanol para produzir 200 mil toneladas de polietileno verde em sua futura unidade, que deve operar em ritmo industrial a partir de junho de 2010. Caso futuramente uma segunda unidade de eteno verde de 400 mil toneladas seja aprovada, em 2014, o consumo da companhia petroquímica poderá chegar a 1,5 bilhão de litros de etanol por ano, informou Luiz Antônio Nitschke, coordenador do projeto de eteno verde da Braskem.

O cálculo ainda considera os usos do produto na composição do ETBE (aditivo de octanagem da gasolina, que também utiliza álcool), atualmente feito na Copesul (RS) e que mais tarde será elaborado em Camaçari (BA). A localização da unidade deve ser divulgada até o final de junho.

A Braskem considera a instalação no Rio Grande do Sul ou na Bahia, tanto assim, que pediu licença ambiental prévia a ambos os estados, mas por enquanto só recebeu a autorização do RS, para uma capacidade de 204 mil toneladas de eteno verde. O estado sulino não cultiva cana-de-açúcar em escala comercial, fonte que fornecerá o etanol para a planta da Braskem.

Quando questionado sobre esse déficit de etanol e a forma de supri-lo caso a unidade seja instalada no sul, Nitschke disse que tanto no Rio Grande do Sul como na Bahia a produção interna de álcool não é suficiente, e haverá a necessidade de comprar de outros estados. Ele citou que há um projeto para produzir 120 mil metros cúbicos anuais de álcool de cana no RS em 2011 ou 2012.

Nitschke não quis informar o investimento na unidade de eteno verde, porque "sua dimensão foi revisada e com isso, o orçamento mudou". Se a avaliação econômica for favorável a uma segunda unidade, "faz sentido" colocá-la junto a uma usina produtora de açúcar e álcool para reduzir custos de transporte, entre outras vantagens, analisou Nitschke.

A Braskem está identificando nichos de mercado que podem utilizar o polietileno verde, que será mais caro que o polietileno tradicional e deve servir a embalagens de itens em que a questão ambiental seja valorizada.

Além do apelo de evitar o petróleo como fonte inicial, o polietileno verde é reciclável e, em um processo produtivo integrado com usina de açúcar e álcool (o que não é o planejamento da Braskem) é possível capturar 2,5 toneladas de gás carbônico por tonelada do produto.

(Fonte:Monitor Mercantil Digital)