Parceria com Coopercitrus e produtores rurais da região amplia Programa Mata Viva da BASF
20/05/2008

O Programa Mata Viva é uma iniciativa pioneira em responsabilidade sócioambiental do negócio de Proteção de Cultivos da BASF, que com o apoio de cooperativas agrícolas e produtores rurais vem contribuindo ainda mais para o desenvolvimento rural e para a agricultura sustentável. Ele consiste no apoio técnico e na orientação às cooperativas, aos profissionais do setor agrícola e produtores rurais no que diz respeito à recuperação de áreas de preservação permanente degradadas de propriedades rurais e educação ambiental das comunidades envolvidas. “Difundir os conceitos para uma agricultura sustentável faz parte das ações da Coopercitrus. Não se trata apenas de um assunto que já se tornou básico para toda a sociedade, que é o respeito pelo meio ambiente, mas é também um fato econômico, importante para a sobrevivência do próprio setor“, ressalta Raul Huss de Almeida, presidente da Coopercitrus.

Para ele, o agricultor que não se integrar a estas ações terá sérios prejuízos financeiros e suas atividades estarão seriamente comprometidas. “Ter a BASF como parceira nesta iniciativa é de extrema importância, pois de um lado temos uma empresa produtora de insumos de ampla responsabilidade social e, de outro, a Coopercitrus que reúne produtores que vêm disseminando esta filosofia”, reforça Huss. Lançado em 1984, desde o ano passado o Programa Mata Viva vem atuando em duas importantes frentes para ampliar os resultados positivos para toda a sociedade: a adequação e a educação ambiental. Para a recuperação e adequação, estão sendo capacitados técnicos e profissionais do setor agrícola para promover a recuperação de áreas degradadas, de acordo com a legislação ambiental brasileira.

O trabalho consiste na identificação e no mapeamento das áreas de preservação permanente e de reserva legal afetadas, além da elaboração do diagnóstico das propriedades, apresentação de metodologias para as soluções econômicas de manejo florestal e implementação efetiva de melhorias nas propriedades. Já aconteceram 12 treinamentos, com a participação de 100 profissionais e inúmeras palestras sobre conceitos ambientais, legislação e recuperação de áreas degradadas. Na fase piloto, as três primeiras cooperativas parceiras do Programa – CAROL, Coopercitrus e CAMDA – já foram beneficiadas em suas diferentes fases e se preparam para a restauração de matas ciliares em propriedades de seus cooperados. “Estamos contribuindo para o sucesso de nossos clientes, da empresa e da sociedade. A sustentabilidade já é uma exigência nas produções agrícolas voltadas para exportação. No mercado nacional ela também passa a ser condição de sucesso para o produtor rural. É cada vez mais importante assegurar a produção econômica de alimentos saudáveis para a população, minimizando os impactos ambientais”, explica Walter Dissinger, vice-presidente de Proteção de Cultivos para a América Latina e Care Chemicals para a América do Sul.

A BASF investiu entre 2007 e 2008 cerca de R$ 1,5 milhão no Programa e contará também com o apoio financeiro do DEG – Deutsche Investitions – und Entwicklungusgesellschaft mbH (Banco de Investimentos Alemão), que destinará cerca de € 120 mil até 2010 para intensificar a iniciativa. “O alvo de nossa ação é o produtor comprometido com a nova realidade ambiental, para quem estamos disponibilizando tecnologias e recursos para a restauração de matas ciliares”, explica Eduardo Leduc, Diretor de Proteção de Cultivos da BASF no Brasil.

A educação ambiental está ocorrendo por meio da rede de ensino fundamental instalada nas imediações das cooperativas, ampliando o conhecimento dos professores e estudantes sobre temas fundamentais para a agricultura, como o clima, a água, a reciclagem, o lixo, o reflorestamento e a conservação das matas ciliares. “As ações educativas ajudam na mobilização e conscientização da sociedade para a preservação dos recursos naturais, incentivando a gestão ambiental compartilhada e a responsabilidade mútua entre empresas, produtores, entidades e governos”, diz Sonia Chapman, presidente da Fundação Espaço ECO, primeiro centro de excelência em desenvolvimento sustentável para América Latina, instituído em 2005 pela BASF.

(Fonte: Site Basf)