Consolidação deverá atingir também a distribuição
18/03/2008

As recentes mudanças ocorridas no setor petroquímico nacional certamente vão alterar o cenário de distribuição brasileira de resinas. Basta saber como as operações dos dois fornecedores, a Braskem e a empresa provisoriamente chamada de Companhia Petroquímica do Sudeste (CPS), refletirão no varejo a médio e longo prazos. Especialistas arriscam que a primeira alteração será a redução do número de distribuidores, segundo já apontam fusões ocorridas desde o ano passado. Exemplo desse movimento é a união de forças da SPP Resinas e Clion, ocorrida em outubro de 2007; já em janeiro de 2008 foi a vez de Piramidal, Ruttino e Polimarketing darem origem a nova Piramidal através de fusão.

Os movimentos agregadores mais recentes ficaram por conta da Mais Polímeros, que teve o total de ativos adquiridos pela família Antunes, e da Muehlstein International, que, há pouco, anunciou as últimas ações para consolidar sua integração com o grupo Ravago. Na opinião de Carlos Belli, diretor comercial da SPP Resinas, o setor está preparado para mudar de patamar, não só em eficiência e escala, mas sobre tudo em gestão. “Está acabando a época dos donos de revenda e distribuidores que, de forma amadora, conquistam mercados e clientes”, afirma Belli. O gerente comercial, da área de polímeros da Unipar Comercial, Jaime Utera, acredita que a reestruturação do setor petroquímico vai forçar a readequação de algumas revendas e distribuidores, tendo que buscar outras alternativas e nichos.

A partir desse movimento de consolidação, o aumento na escala de produção e garantia de fornecimento parecem irrefutáveis aos olhos dos representantes do setor. Já as questões relacionadas aos preços causam impasse. Porém, para grande parte dos representantes do segmento, incluindo o Siresp, o processo de consolidação não trará redução nos preços cobrados, mas trará maior estabilidade. Segundo o Siresp, o aumento da escala de produção sustentará o aquecimento da economia nacional e evitará problemas em virtude de paradas programadas de três centrai de matérias-primas. (Fonte: Plástico Moderno)