Consumo cresce e empresas investem no aumento da produção
10/03/2008

A Solvay Indupa investirá US$ 135 milhões para atender o desenvolvimento do mercado de policloreto de vinila - PVC - na América do Sul, puxado, principalmente, pelo crescimento do setor de construção civil e indústria automotiva. O investimento engloba também, a construção de uma planta de etileno (matéria-prima para a fabricação de PVC) a partir de álcool de cana-de-açúcar. Paulo Schirch, presidente da Solvay Indupa para América do Sul, afirma que nos próximos cinco anos serão necessários mais de 10 milhões de toneladas de PVC para atender o consumo mundial, todavia se agregarão somente 6,5 milhões de toneladas em novas capacidades. No término do projeto, previsto para 2010, o complexo brasileiro do grupo, terá uma capacidade produtiva anual de 360 mil toneladas de PVC e 235 mil toneladas de soda cáustica.

A Braskem, líder do mercado de PVC com 54% de participação, aumentará em 200 mil toneladas a produção da resina até 2010. A empresa produziu quase 900 mil toneladas do produto em 2007. Com o crescimento do setor de construção civil, o mercado de PVC deve crescer 7% este ano, alcançando um consumo de, aproximadamente, 900 mil toneladas. De acordo com Miguel Bahiense Neto, diretor do Instituto do PVC, o número é conservador se considerada a previsão de crescimento de 10% para o mercado de construção civil. O executivo lembrou dos investimentos do País para abrigar a Copa do Mundo de 2014. "Os impactos da Copa começam a ganhar forma com as análises das obras necessárias, como as de saneamento", completou Bahiense. (Fonte: DCI)