Subsidiária argentina da Solvay venderá BDRs no Brasil
06/03/2008

O grupo argentino Solvay Indupa Saic pediu registro junto à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), hoje, para realizar uma oferta pública de Brazilian Depositary Receipts (BDRs) na Bolsa de Valores de São Paulo.

A operação da fabricante de PVC será coordenada pelo banco de investimentos UBS, simultaneamente a uma oferta de ações na Argentina.

Na minuta de prospecto da oferta, a companhia se apresenta como um dos maiores produtores de PVC e soda cáustica no Mercosul Estendido, que inclui Bolívia e Chile.

Criada em 1948, a companha é controlada, desde 1996, pelo grupo belga Solvay, que atua nas áreas química e petroquímica. Em outubro de 1997, a subsidiária incorporou as operações da solvay no Brasil.

No documento encaminhado à CVM, a companhia informa que pretende usar os recursos que serão obtidos com a oferta para ampliar a atual fábrica no Brasil, localizada em São Paulo, e a construção de novas unidades no País.

"Uma das nossas estratégias é sermos produtor líder e principal fornecedor de PVC e soda cáustica no Mercosul Estendido", diz trecho do documento.

A Solvay Indupa Saic deve ser o terceiro grupo argentino a ter papéis negociados na Bovespa. O primeiro foi o Banco Patagônia, que fez sua estréia no pregão em agosto de 2007.

Depois dele, a Petroquíimica Comodoro Rivadávia pediu autorização para vender BDRs na Bovespa, mas solicitou a suspensão temporária da oferta até que as condições de mercado melhorassem. (Fonte: Invertia)