Nova Petroquímica agrega valor à embalagem do novo Veja 4 em 1 da Reckitt Benckiser
31/01/2008

Além da versão gatilho e diluível, o Veja Multi-Ação 4 em 1 chega ao mercado com a praticidade da embalagem squeeze, ambas em polipropileno transparente.

Ao detectar que ainda há consumidoras que preparam diversas misturas caseiras com cloro, sabão em pó e desinfetante para realizar a limpeza doméstica, a marca Veja, líder absoluta em todos os segmentos que atua, viu uma oportunidade de lançar um novo produto. O novo Veja 4 em 1 chegou ao mercado para substituir a mistura caseira com uma fórmula de alta tecnologia, que entrega quatro benefícios bastante valorizados pelas donas de casa.

O produto reúne ação desinfetante com o poder de eliminar a gordura da cozinha e remover os resíduos do banheiro, deixando um perfume refrescante no ambiente. Veja 4 em 1 já está disponível nos supermercados e hipermercados de todo o país, nos formatos gatilho, diluível e squeeze, nas fragrâncias Maçã Verde e Citrus.

Para agregar ainda mais valor ao produto, a Nova Petroquímica* desenvolveu uma resina de polipropileno (PP) com características de transparência e maleabilidade, para compor a embalagem do Veja 4 em 1, feita pela Logoplaste. Com isso, o consumidor vai contar também com um produto mais prático e fácil de usar.

A embalagem tipo squeeze foi uma solicitação do grupo Reckitt Benckiser, fabricante da linha Veja, que procurava uma solução com design e custo atrativos. “Quando são necessárias propriedades como transparência, brilho, resistência, leveza e versatilidade para acompanhar o design, o polipropileno é a solução ideal”, afirma Sinclair Fittipaldi, gerente de Marketing da Nova Petroquímica. E completa: “além disso, conseguimos agregar valor ao longo de toda a cadeia: do produtor de matéria-prima, até o consumidor final”.

No caso do Veja 4 em 1, outro motivo da escolha do polipropileno para a embalagem do produto, foi a sua total reciclabilidade, que atende uma forte preocupação do grupo Reckitt Benckiser com o desenvolvimento sustentável e a responsabilidade ambiental.

Ainda segundo Fittipaldi, o desenvolvimento de produtos com atributos diferenciados tem sido chave para o crescimento da Nova Petroquímica no mercado de produtos de limpeza, que vem apresentando um crescimento de cerca de 6% ao ano. Os materiais de limpeza representam cerca de 10% da composição da cesta básica brasileira. “As vendas de polipropileno da Nova Petroquímica para esta indústria vem crescendo a uma taxa média de 10% ano a ano e este segmento representa cerca de 5% do nosso volume de vendas”, afirmou o executivo.

A resina de polipropileno foi desenvolvida pela Nova Petroquímica em Mauá, na Grande São Paulo, onde a companhia conta com modernos laboratórios de pesquisa, no Centro Tecnológico em Mauá, considerado o mais moderno da indústria petroquímica da América Latina. A companhia investe cerca de 1,5% do seu faturamento em pesquisa e desenvolvimento de novos produtos para estar apto a cada dia a levar ao cliente soluções eficazes.

*Sobre a Nova Petroquímica – A Suzano Petroquímica passa a se chamar Nova Petroquímica após a consolidação dos ativos petroquímicos da região Sudeste. A empresa fabrica polipropileno (PP), polietileno (PE) e aromáticos. (Fonte: Guia da Embalagem)