Consumo interno é aposta para superar crise
28/01/2008

O desempenho das empresas brasileiras não ficará comprometido com a crise financeira nos EUA, porque o consumo interno compensará eventuais perdas. Segundo executivos consultados, é a primeira vez que suas companhias enfrentarão os efeitos de uma turbulência externa contando com o respaldo dos consumidores brasileiros.

Na petroquímica, as exportações deverão sofrer queda de cerca de 15%. Essa é a previsão de José Ricardo Roriz Coelho, presidente da Nova Petroquímica, que deverá exportar 700 mil toneladas a menos neste ano. "Felizmente, não negociamos tanto com os EUA", diz Roriz Coelho. Segundo ele, essa perda será compensada com o crescimento das vendas no próprio País. Em 2008, a previsão de safra agrícola de 135 milhões de toneladas exigirá mais embalagens feitas de materiais plásticos.

A expansão da indústria automotiva, que utiliza cerca de 50 kg de plástico em cada automóvel, e da construção civil, também grande demandante de produtos plásticos, também será relevante. Além disso, a desaceleração nos EUA forçará o preço do barril de petróleo para baixo dos US$ 80, reduzindo os custos de produção das petroquímicas no Brasil. (Fonte: Folha de S. Paulo)