Crescimento da indústria química
15/01/2008

A indústria química brasileira tem motivos para comemorar neste ano. O setor estima um crescimento do faturamento (em dólares) em 22% – em reais a expansão deverá ficar em 9% – com o qual chegará a US$ 101,3 bilhões de vendas, de acordo com dados da Abiquim. Um dos principais fatores para o impulso foi o aquecimento do mercado interno, que estimulou diversas atividades, entre elas a área automotiva, a agricultura e a construção civil. O forte desempenho foi espalhado pelos diversos segmentos da indústria química, com destaque para adubos e fertilizantes (resultado 59,5% maior), higiene pessoal (30%), defensivos agrícolas (25,6%), produtos químicos de uso industrial (19,4%) e tintas e vernizes (19%).

O BNDES deverá manter o apoio ao setor químico e petroquímico em 2008, com foco em projetos de ampliação de capacidade produtiva de empresas, de reestruturação do segmento e em planos das indústrias para pesquisa e desenvolvimento de novos produtos e processos. Em 2007, a instituição registra R$ 3,87 bilhões em desembolsos do banco para a atividade, 25% mais que os R$ 3,01 bilhões no ano passado. Segundo o presidente do banco, Luciano Coutinho, é fundamental ajudar a acelerar os investimentos do segmento, para evitar repiques de inflação e “só criando oferta vamos conseguir conciliar com a demanda crescente e com o equilíbrio de preços”. (Fonte: Diário do Grande ABC)