Matéria-prima sobe e pressiona indústria
07/01/2008

Os preços dos insumos estão em alta contínua e pressionam os custos das indústrias, que terão de repassar pelo menos parte dessa elevação para seus clientes da cadeia produtiva. Entre as matérias-primas que mais pressionam o setor neste início de ano estão a nafta, insumo básico da cadeia petroquímica - que subiu 53% do início do ano passado a janeiro deste ano - e o minério de ferro, que tem reajuste previsto entre 30% e 50%, provavelmente até o final deste mês.

A alta preocupa ainda mais a indústria porque vem se estendendo desde o ano passado. Em dezembro, as cotações das matérias-primas para o setor tiveram alta, segundo levantamento da NTC Research, com elevação para 57,7 pontos, em comparação aos 55,0 pontos de novembro. Com a alta da nafta, principal matéria-prima para o setor petroquímico e que responde por mais de 70% do custo de produção, a perspectiva é de elevação nos preços das resinas plásticas - no ano passado, as principais resinas tiveram aumento médio de 10%. Atualmente o Brasil consome cerca de 10 milhões de toneladas de nafta por ano e importa, por meio da Petrobras, 3,5 milhões de toneladas da matéria-prima. (Fonte: DCI)