Produção e vendas de resinas plásticas voltaram a crescer
22/11/2007

A produção de resinas termoplásticas, que havia recuado em setembro, cresceu 3,2% em outubro, chegando a 406,4 mil toneladas. Em relação a setembro, as vendas ao mercado interno, superiores a 313,6 mil toneladas, apresentaram incremento de 7,9% e as exportações, com expansão de 9,4%, somaram 89,8 mil toneladas. As importações, na mesma comparação, cresceram 25%, totalizando 68,7 mil toneladas. No acumulado do ano, até outubro, a produção brasileira de resinas plásticas superou o volume de 4 milhões de toneladas, as vendas internas o de 2,9 milhões de toneladas e as exportações chegaram a 978,1 mil toneladas. Em relação a igual período de 2006, a produção apresenta crescimento de 3,68%, as vendas internas de 5,2% e as exportações de 14,2%. As importações somaram 547,8 mil toneladas, com incremento de 18,5% na comparação com o período de janeiro a outubro do ano passado. Os números divulgados pela Coplast (Comissão Setorial de Resinas Termoplásticas da Abiquim) ainda são preliminares por não incluírem a resina PET. O levantamento engloba o PEBD, PEBDL, PEAD, PP, PS, PVC, copolímero de etileno e EVA. O levantamento também não inclui o poliestireno expansível. Segundo José Ricardo Roriz Coelho, presidente do Siresp, o segundo semestre apresenta melhores sinais para o setor porque o mercado está crescendo em patamares acima do previsto no início do ano. “As taxas”. de juros estão caindo e a estabilidade da economia vem permitindo um aumento do consumo interno”, destaca. O executivo destaca, ainda, que o setor de embalagens vem mostrando um bom desempenho no consumo de resinas plásticas. Porém, em sua avaliação segmentos como eletroeletrônicos, linha branca, indústria automotiva, agricultura e construção civil vêm demandando muito e estão assegurando bons resultados para 2007. “Nossa expectativa é de que o quadro continuará numa crescente e fecharemos o ano com crescimento da ordem de 8%”, afirma Roriz Coelho. (Fonte: Yellow Comunicação)