Grubisich admite prorrogação da CPMF, desde que carga tributária seja reduzida
25/10/2007

O presidente da Braskem, José Carlos Grubisich, defendeu a redução da carga tributária brasileira. Em entrevista à imprensa, o empresário disse que a cobrança da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) pode ser mantida, para garantir a arrecadação do governo. No entanto, na avalição de Grubisich, seria necessário reduzir outros tributos, sobretudo os que incidem sobre a folha de pagamento e impostos ligados a investimentos. "Não é discutir a CPMF diretamente, mas acho que a redução da carga tributária certamente viabilizará mais investimentos no Brasil", ressaltou Grubisich, presidente de uma das maiores empresas petroquímicas da América Latina. O executivo disse acreditar no crescimento sustentável da economia brasileira. De acordo com ele, o setor de plásticos e petroquímicos vai crescer cerca de 10% nos próximos anos. "Evidentemente que não existe nada melhor do que crescimento da economia para viabilizar investimentos", afirmou. Grubisich é um dos cerca de 100 empresários convidados para a reunião com o presidente Lula. Entre os participantes também está o presidente do grupo Pão de Açúcar, Abílio Diniz. Ao chegar ao Palácio do Planalto, ele preferiu não antecipar se o encontro com Lula servirá para manifestar apoio à prorrogação da CPMF até 2011. "Estou aqui para ouvir o que o presidente tem para falar. Ele convocou os empresários e o nosso dever é estar aqui e participar desse momento do país." (Fonte: Panoramabrasil)