Nafta chega a US$ 753 e faz prever nova alta
22/10/2007

Os preços da nafta continuam a subir no mercado internacional, em linha com a elevação das cotações do petróleo. As cotações chegaram a US$ 753 por tonelada para entrega no final de dezembro na Ásia, de acordo com informações do mercado.

Essa elevação faz prever novas altas do produto - matéria-prima básica da indústria petroquímica - também no mercado brasileiro, mesmo com a valorização do real em relação ao dólar.

Para outubro, o preço está fixado em torno de US$ 730 em média no País. Para o mercado existe, portanto, espaço para novos reajustes, principalmente com a contínua alta do petróleo.

A nafta começou o ano cotada a US$ 553 no mercado brasileiro, o que significa uma elevação próxima a 35% desde janeiro.

Por enquanto, esse nível de reajuste não foi repassado para a cadeia petroquímica, mas representa uma fonte de apreensão para fabricantes de resinas plásticas e seus clientes (os transformadores, que fabricam os produtos para o consumidor final).

Os transformadores temem, no entanto, que aconteçam mais aumentos nos preços das resinas. Segundo Merheg Cachum, presidente da associação das indústrias do setor, se houver aumentos no nível das elevações da nafta o setor terá que repassá-lo para o consumidor final.

A Petrobras é a única fornecedora de nafta para as centrais petroquímicas do País. A companhia calcula um preço fixo mensal para o produto considerando indicadores da variação cambial, preço do insumo no mercado internacional e também uma "comissão" cobrada pela estatal pelo transporte do produto, que tem um custo mais alto do que no mercado internacional.

As maiores petroquímicas brasileiras, como a Braskem, negociam há meses com Petrobras a redução do preço do insumo, porém ainda não obtiveram sucesso, ainda mais em um cenário em que o petróleo sobe sem parar no mercado internacional.

Elevação na Ásia

A cotação do produto para entrega na segunda metade de novembro na Ásia está no nível de US$ 733,50 por tonelada e já há negócios no nível de US$ 735,50. Para a primeira metade de dezembro, as cotações estão no nível de US$ 736. (Fonte: DCI)