Autos, construção e embalagem dão impulso a resinas
09/10/2007

Impulsionado pelo bom momento dos setores automotivo, de embalagens e construção civil, a indústria de resinas plásticas deve apresentar um crescimento de 8% no volume de vendas este ano. Apesar da alta do barril de petróleo, acima dos US$ 80, ter alavancado o preço da nafta, principal insumo do setor petroquímico, as vendas de resinas no mercado interno devem superar 3,5 milhões de toneladas este ano.

Segundo José Ricardo Roriz Coelho, presidente do Sindicato das Indústrias de Resinas Plásticas (Siresp), a alta prevista para nafta influirá nos preços das resinas nos próximos meses. "Devemos ter reajustes no valor das resinas, em alguns produtos o aumento pode chegar a 11%", disse.

O aumento das resinas pode atingir 8 mil empresas fabricantes de artefatos plásticos. Merheg Cachum, presidente da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast), afirma que o aumento nas resinas plásticas ainda não foi feito.

"Não tenho conhecimento desse repasse de aumento de preços para as resinas plásticas devido à alta da nafta. Mas se acontecer esse aumento, não absorveremos esse prejuízo, iremos repassar essa alta podendo influenciar para o consumidor final", anunciou Cachum.

A indústria de transformadores plásticos faturou US$ 9,98 bilhões no primeiro semestre, um aumento de 23,72% em relação à primeira metade do ano passado.

O consumo de transformados plásticos foi de 2,12 milhões de toneladas no período, 2,9% superior ao do mesmo período de 2006, de acordo com os dados das indústrias do setor. (Fonte: DCI)