Fiesp e Governo do Estado assinam termo de cooperação com foco na competitividade
10/09/2007

Protocolo em prol da competitividade da indústria paulista foi firmado hoje, durante a abertura do Seminário “Agenda de Competitividade para a Indústria Paulista”

O presidente do Sistema Fiesp, Paulo Skaf, e o vice-governador e secretário do Desenvolvimento do Estado de São Paulo, Alberto Goldman, assinaram nesta manhã um Protocolo de Cooperação que visa a elaboração de um conjunto de estudos e ações em prol da competitividade da indústria paulista.

A solenidade ocorreu durante a abertura do Seminário “Agenda de Competitividade para a Indústria Paulista”, que acontece até as 17 horas de hoje na sede da Fiesp. Estiveram presentes o diretor-titular do Departamento de Competitividade e Tecnologia (Decomtec) da Fiesp, José Ricardo Roriz Coelho, o secretário-adjunto de Desenvolvimento do Estado de São Paulo, Carlos Américo Pacheco, o deputado federal Albano Franco (PSDB-SE), o diretor superintendente do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), Vahan Agopyan, e o presidente do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), Claudio Vaz.

“As ações do Estado são limitadas, pois há muitas coisas que dependem de decisões no âmbito do governo federal. Mas estamos focados naquilo que podemos mudar e melhorar em relação à indústria paulista”, declarou Paulo Skaf, ressaltando a importância dos vários acordos de cooperação que vêm sendo firmados pelo governo paulista com o setor industrial.

A liderança de São Paulo no cenário da indústria de transformação nacional foi destacada por José Ricardo Roriz Coelho. “A indústria paulista responde por 43,8% do PIB e quase 50% dos salários pagos pela indústria do País. Sua produtividade é 33% superior à média nacional”, afirmou o empresário. “No entanto, estamos perdendo terreno nos últimos anos, e apesar de mantermos um importante diferencial competitivo, temos o desafio de preservar a competitividade do nosso Estado”, completou.

Em seu pronunciamento, Alberto Goldman sublinhou os desafios enfrentados pela Economia Paulista. “O cenário econômico mundial abre oportunidades, mas o câmbio e a concorrência asiática trazem obstáculos. Para superar esses desafios, torna-se necessário desenhar uma política industrial ativa, o que implica um maior esforço tecnológico, na realização de investimentos e no estímulo à produtividade”, disse o vice-governador. “Saber tirar proveito da diversidade econômica do Estado é o nosso desafio central”, concluiu. (Fonte: Agência Indusnet Fiesp)