Venezuela e Bolívia unem estatais
09/08/2007

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, inicia hoje a sua visita à Bolívia, onde lançará com o presidente Evo Morales uma associação milionária entre as estatais venezuelana PDVSA e boliviana YPFB, voltada para a exploração de hidrocarbonetos (petróleo e gás).

A visita de Chávez à Bolívia - país que necessita com urgência de investimentos estrangeiros - ocorre "como parte da integração energética e fortalecimento bilateral desta integração", explicou o chanceler boliviano David Choquehuanca.

Essa mesma tônica dominará o encontro trilateral entre os presidentes Chávez, Morales e Néstor Kirchner, da Argentina, que chega amanhã à cidade boliviana de Tarija para "anúncios importantes de investimentos para uma usina de gás liqüefeito", acrescentou.

Os investimentos na Bolívia de capitais venezuelanos e argentinos somam cerca de US$ 1,1 bilhão, antecipou o Ministro de Hidrocarbonetos boliviano, Carlos Villegas.

A criação da empresa Petroandina, que reunirá capital e tecnologia das estatais petroleiras PDVSA (Venezuela) e YPFB (Bolívia) promoverá o investimento para a exploração e produção de cerca de US$ 600 milhões, afirmou Villegas.

Chávez e Morales irão, também amanhã, à região central do Chapare, reduto político do governante boliviano, "para anunciar importantes projetos sobre energia hidroelétrica". Choquehuanca se absteve, no entanto, de precisar quais os projetos específicos que serão apoiados pelos mandatários.

Segundo as previsões, Chávez e Morales vão inaugurar amanhã, em Chapare, o início das obras para uma usina termelétrica, que será financiada por Caracas, no valor de US$ 80 milhões. Antes disso, os governantes irão participar de uma cerimônia em La Paz, onde as estatais petroleiras da Venezuela e da Bolívia assinarão o acordo de associação da Petroandina. (Fonte Gazeta Mercantil)