Sensor da Fiesp aponta estabilidade da Indústria nos próximos meses
03/08/2007

Atividade industrial no País está em fase de acomodação, as vendas estão desacelerando e o nível dos estoques continua alto, revela a nova pesquisa da entidade apresentada hoje à imprensa
O Sensor Fiesp, a mais nova pesquisa de conjuntura econômica da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), foi lançada, em coletiva à imprensa, nesta terça-feira e revela que a atividade industrial no país está em fase de acomodação, que as vendas estão desacelerando e que o nível dos estoques continua alto.

Desenvolvido pelo Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos (Depecon) da Fiesp, o estudo mostra que em julho o Sensor atingiu 50,4 pontos, apresentando uma queda na comparação com junho, quando atingiu 52,7 pontos. Ainda assim, sustentou-se acima da marca de 50 – que separa crescimento de retração.

O Sensor Fiesp tem como objetivo levantar, mensalmente, informações da atividade da indústria de transformação no Brasil dentro do próprio mês de coleta de dados, eliminando assim as defasagens de tempo comum nas pesquisas de conjuntura.

O Sensor é calculado pela média simples de mercado, vendas, estoques, emprego e investimentos. E o indicador varia de 0 a 100 pontos: resultados acima de 50 pontos revelam expectativas positivas e abaixo, negativas.

A avaliação geral das condições de mercado em julho indicou uma queda, registrando 51,8 pontos, ante 58,8 em junho. De acordo com Paulo Francini, diretor do Depecon, o resultado mostra que o mercado perdeu aceleração e que está próximo da estabilidade. “No entanto, o clima permanece neutro, pois 33,3% das empresas informaram aumento do ritmo dos negócios, outros 55, 6% estabilidade e apenas 11,1% queda no ritmo dos negócios em julho”.

A amostra é composta por informações obtidas de 30 empresas da indústria de transformação divididas em nove macro-setores: Alimentos e Bebidas, Têxteis, Celulose e Papel, Álcool e Petróleo, Químicos, Borracha e Plástico, Metal Mecânica, Eletro Eletrônica e Veículos e Outros Equipamentos de Transportes. De cada setor são escolhidas duas ou mais empresas de maior peso que são a base do estudo.

De acordo com o Sensor, as vendas da indústria estão desacelerando, registrando 52,0 pontos, ante 52,8 no mês passado. O nível de estoque registrou 45,6 pontos, ante 49,8 no mês passado. Vale ressaltar que quando o nível de estoque for igual a 50, indica estoque dentro do planejado. Valores abaixo de 50 indicam excesso e acima, falta de estoque.

Já o indicador de Emprego cresceu para 50,1 pontos, contra 48,6 pontos em junho indicando tendência de estabilidade enquanto os Investimentos apresentaram queda de 1,2 ponto, ficando em 52,5 pontos em julho ante 53,7 em junho. Cerca de 22,2% dos entrevistados pretendem iniciar novos projetos em julho, enquanto a grande maioria, 66,7% apontou estabilidade.

O Sensor Fiesp vem sendo coletado desde junho de 2006 e mostra que nos treze meses de sua série, a atividade industrial caminha, a partir de abril deste ano, para estabilidade. “O que observamos é aumento dos estoques e estabilidade do emprego e de vendas, o que, em conjunto, dá maior consistência à interpretação de estabilidade do setor, que inclusive pode ser estendida aos próximos meses”, conclui o diretor do Depecon.