Ações da Braskem podem sofrer com nafta mais cara, alerta corretora
31/05/2007

De acordo com os analistas da Itaú Corretora, mesmo com as petroquímicas repassando o aumento da nafta para o valor dos produtos e o preço internacional das resinas subindo, as margens operacionais das companhias dependentes da commodity devem ficar mais apertadas.

Segundo a instituição, a elevação expressiva da nafta nos últimos três meses, que passou de US$ 560 por tonelada para US$ 690 por tonelada, deve afetar mais diretamente a Braskem e em menor grau a Suzano Petroquímica.

As ações preferências classe A da Braskem acumulam valorização de 7,58% no ano, enquanto o Ibovespa registra alta de 16,29% e as ações da preferenciais Suzano Petroquímica apresentam avanço de 30,10% no período.

Menos dependente

Isto ocorre porque "a Suzano Petroquímica, em conjunto com a Unipar, possui participação societária (33,3% cada uma) no empreendimento Rio Polímeros, que se utiliza de frações etano e propano de gás natural fornecido pela Bacia de Campos e não depende da nafta petroquímica" explicam os analistas da corretora. (Fonte: InfoMoney)