Siresp aponta crescimento nas exportações de resinas
24/05/2007

As exportações de resinas plásticas atingiram 400 mil toneladas no acumulado dos primeiros quatro meses do ano, em relação ao mesmo período do ano passado, apresentando um crescimento de 39%.

Em volume, a resina mais vendida para o exterior foi Polietileno de Alta Densidade (PEAD), com 137 mil toneladas, com aumento de 72,15% em relação ao mesmo período de 2006. Em seguida, vem o Polietileno de Baixa Densidade Linear (PEBDL), com cerca de 100 mil toneladas embarcadas e aumento de 66% nas exportações. A terceira resina mais exportada foi o Polipropileno (PP), com 75 mil toneladas e crescimento de 29%. O PVC aparece depois, com 24 mil toneladas vendidas ao exterior e aumento de 42% em relação ao primeiro quadrimestre de 2006.

A produção nacional de resinas plásticas cresceu 4% nos primeiros quatro meses do ano, alcançando 1.587,460 mil toneladas. As resinas que apresentaram maior crescimento na produção foram o PEBDL, com 230 mil toneladas, equivalente a 11% de aumento. Outro polietileno que obteve crescimento parecido na produção foi o PEAD, com 347 mil toneladas e 10,29% de aumento. A produção da resina EVA cresceu 7,32% alcançando 26 mil toneladas. Já o Polipropileno ampliou a produção em 3,62% fechando o período com 423 mil toneladas.

As vendas das empresas brasileiras para o mercado interno também apresentaram elevação de 3% em relação ao quadrimestre de 2006. Foram comercializadas cerca de 500 mil toneladas.

Importações

Verifica-se, também, no período, um aumento significativo das importações de resinas plásticas. De janeiro a abril deste ano foram compradas de outros países 218 mil toneladas de resinas plásticas, um aumento de 20,44% em relação ao mesmo período do ano anterior. Entre as resinas mais compradas de fora, estão o PVC, com quase 62 mil toneladas e aumento de 66%, seguida do Polipropileno, com compras de 50 mil toneladas, representando 63% a mais que os mesmos quatro primeiros meses de 2006.

Marcio Freitas