Suzano investe para ganhar mercado do cobre
26/04/2007

De olho nos mercados imobiliário e de infra-estrutura que deverão sofrer um impulso este ano, a Suzano Petroquímica será fornecedora no País de resina de polipropileno (PP) com a capacidade de substituir os canos de cobre para a condução de água quente, em residências ou indústrias. Estes tubos e conexões, já vendidos na Europa onde são chamados de ‘verdes’, já estão sendo anunciados no País pela transformadora Amanco que quer ocupar um mercado hoje dominado 70% pelo cobre e 30% por tubos de PP, porém importados.



Na Europa quem fornece à grandes transformadores são petroquímicas como Basell e Borealis."Levamos um ano em pesquisa para chegar a um produto que já tem toda sua produção inicial vendida e que já é usado em larga escala no mundo", disse o gerente de marketing da Suzano, Sinclair Fittipaldi. Segundo dados do mercado, a tonelada de um produto com o PP para tubos que usam água quente chega a ser até 30% mais cara do que a tonelada de resina comum, que hoje oscila entre US$ 1,7 mil e US$ 1,8 mil. A capacidade inicial será de até 15 mil toneladas.



Uma das vantagens da resina atualmente é sua competitividade em relação ao cobre, já que o metal, assim como outros metais, estão hoje com preço supervalorizados e batendo recordes. "O primeiro foco será o de residências que usam aquecedor, por exemplo. O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e os outros programas de auxílio do governo devem trazer boa demanda para este ano", disse Fittipaldi.



O PP é uma resina consumida nos dois mercado que mais crescem em demanda no País - autopeças e de embalagens para alimentos. (Fonte: Gazeta Mercantil)