Venda de PP via distribuidores deve crescer 15% Em 2007
05/03/2007

As vendas domésticas de polipropileno (PP) da Suzano Petroquímica via distribuidores deverão crescer 15% em volume neste ano, de acordo com o gerente de Marketing da companhia, Sinclair Fittipaldi. No ano passado, conforme o executivo, esse canal respondeu pela comercialização de aproximadamente 65 mil toneladas de resina, ou cerca de 15% das vendas domésticas da Suzano. "A distribuição vem ganhando espaço nas vendas e há potencial para mais crescimento. Na Europa, por exemplo, os distribuidores respondem por até 20% do volume comercializado", afirma.



De acordo com Fittipaldi, a Suzano atende, de forma direta, cerca de 600 grandes clientes e trabalha com cinco distribuidores que estão voltados a compradores de menor porte, que contratam, em geral, menos de 12 toneladas por negócio. "Há também uma proliferação de pequenos clientes, o que impulsiona os negócios de distribuição", acrescenta. Apesar do foco em nichos distintos, ressalta o executivo, a política de preços adotada pela companhia em suas vendas diretas e via distribuição é a mesma. "O distribuidor é tratado como um grande cliente e a política de preços tem de ser equânime", comenta.



Um dos cinco distribuidores da Suzano, a SPP Resinas - que faz parte do grupo Suzano - pretende alcançar faturamento de R$ 430 milhões em 2007, uma alta de 27% frente ao registrado no ano passado. De acordo com o diretor executivo da SPP, Carlos Belli, parte do crescimento virá da expansão dos volumes vendidos e outra parte será reflexo da reestruturação implementada desde novembro na empresa. Uma das iniciativas já tomadas, conta o executivo, que chegou da Suzano Petroquímica na distribuidora para tocar a reorganização do negócio, tem por objetivo reduzir os estoques de 36 dias, em média, para 15 dias ainda no primeiro trimestre.



"Queremos também aumentar nosso portfólio de especialidades, que hoje respondem por 14% do faturamento", complementa Belli. A partir dessa estratégia de diversificação, a venda de especialidades deverá responder por até 20% das receitas da SPP. Além disso, a distribuidora também está ampliando sua atuação conjunta com clientes, com vistas a substituir outros materiais pelo PP. "Queremos fazer com que esses parceiros desenvolvam novos produtos e ganhem mercado conosco", explica.



Recentemente, a SPP e a Botega Eletrônica, empresa especializada na produção de duchas eletrônicas, desenvolveram uma nova linha de duchas produzidas inteiramente em PP, substituindo dessa forma o antigo material, o ABS. "Estamos trabalhando também em outros projetos, um deles de substituição de partes de metal por plástico no setor de injeção", conta. Somadas, essas medidas implementadas na distribuidora devem resultar em uma melhora de rentabilidade.(Fonte: Agência Estado)