Plano de apoio ao plástico será lançado em março
26/02/2006

Um novo projeto para o aumento da competitividade da micro e pequenas empresas do setor plástico no Grande ABC será lançado no próximo dia 12 de março. O programa, conhecido como APL (Arranjo Produtivo Local) do Plástico, já teve uma primeira etapa nos últimos dois anos, mas agora ganhou parceiros de peso e metas ambiciosas.

O plano, que inicialmente tinha como gestores a Agência de Desenvolvimento do Grande ABC e o Sebrae, passou a contar também com a participação da Suzano Petroquímica, do IFC (braço do Banco Mundial) e da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo). E deverá contar com R$ 4 milhões nos próximos três anos para treinamento, consultorias e outras atividades de apoio às micro e pequenas empresas.

O objetivo é colaborar para que os empresários do segmento dêem saltos de qualidade e elevem seus resultados, por meio de ações em conjunto e pela interação com as instituições locais (prefeituras, universidades e outras entidades).

Uma das metas é ampliar o grupo piloto, que era formado por 18 pequenos fabricantes, para pelo menos 50 . Mas a intenção é abrir a oportunidade para que todas as empresas do ramo (são mais de 600 na região) possam se capacitar com a ajuda do programa.

Segundo o coordenador do projeto APL, Joelton Gomes Santos, os treinamentos serão oferecidos a todos, mas quem aderir ao núcleo piloto tem vantagens. Um exemplo é a possibilidade de participação em atividades como negociações de compras conjuntas.

Para subsidiar o trabalho, os parceiros na iniciativa contrataram a consultoria especializada MaxiQuim, que atualizou um levantamento do segmento na região (feito em 2002) e ajudou a traçar um planejamento de ações. Está nos planos, por exemplo, cursos em gestão financeira, de marketing, design, gestão de processos e treinamento técnico.

DIFERENCIAL
Santos afirma que um dos diferenciais do projeto é a criação de um comitê de governança local, que reúne prefeituras, a Fatec (Faculdade de Tecnologia), a Universidade Federal do Grande ABC, a FEI, Instituto Mauá, Senai e o Ciap (Centro de Informação e Apoio ao Plástico).

A governança local, segundo o coordenador, pode se traduzir, por exemplo, na colaboração das instituições de ensino no desenvolvimento de produtos inovadores.
Empresários têm grande expectativa
Pequenos empresários do segmento plástico da região têm grande expectativa em relação à nova etapa do projeto de APL.
Para o empresário Oswaldo Baradel, que coordena o grupo piloto do APL, a primeira fase já trouxe ganhos, principalmente de aprendizado em relação à cultura da cooperação entre indústrias de um mesmo ramo. Ele acredita que agora será possível avançar ainda mais.
“Houve uma quebra de paradigmas, de que poderíamos abrir a empresa para outros do mesmo segmento e trocar experiências”, afirmou o empresário.
Baradel acrescenta que nessa primeira etapa já foi possível obter benefícios, entre os quais a negociação conjunta de compras e a participação conjunta em treinamentos e consultorias oferecidos pelo Sebrae e Senai. “Fizemos, por exemplo, a assinatura de um convênio médico dentro do APL e a compra compartilhada de moldante protetivo. Negociamos com preço melhor”, disse.
No entanto, o empresário acredita que a entrada de parceiros de peso, como a Suzano Petroquímica, o IFC e a Fiesp, vai contribuir para resultados mais expressivos. Entre os planos do grupo estão a ida à feira internacional K (a maior do mundo no setor), na Alemanha, em outubro.
Outro objetivo é montar uma central de compras, inicialmente para a aquisição de materiais de papelaria, por exemplo, e numa fase posterior, chegar a negociar matéria-prima para os fabricantes. “Temos de começar de forma simples. É preciso ser produtivo e reduzir perdas”, disse.
O coordenador do projeto, Joelton Gomes Santos, destaca que um dos alvos é ser competitivo não só localmente mas fora da região. Para isso, segundo ele, será importante a interlocução dos empresários com os integrantes da governança local (prefeituras e instituições de ensino e pesquisa). (Fonte: Diário do Grande ABC)