Ipiranga estuda nova planta de polipropileno no Sul a partir de 2010
15/02/2007

A Ipiranga Petroquímica (IPQ) revelou ontem que possui projetos para elevar sua capacidade produtiva de polipropileno (PP). O plano imediato da empresa é ampliar de cerca de 150 mil toneladas para 180 mil toneladas a capacidade de produção de PP em sua planta instalada no Rio Grande do Sul. Além disso, a companhia estuda a implantação de uma nova planta da resina, que teria capacidade de 200 mil toneladas e entraria em operação a partir de 2010. Para isso, a companhia negocia com parceiros a disponibilidade de fornecimento de matéria-prima. “O projeto depende do atendimento por parte da Refap [Refinaria Alberto Pasqualini]”, afirma o diretor superintendente e de Relações com Investidores da IPQ, Alfredo Lisboa Tellechea.
A perspectiva de um novo processo que permitiria à empresa ampliar sua produção de PP, no entanto, contrasta com a possibilidade de um excesso de oferta da resina do mercado na próxima década. Além da Ipiranga, Suzano Petroquímica e Braskem (por intermédio da Petroquímica Paulínia) também têm planos de ampliar a capacidade instalada de PP. E a partir de 2012 pode entrar em operação também o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), que deverá abranger empresas de primeira e segunda gerações, incluindo fabricantes de resina.
“O risco de superoferta existe, mas temos de pensar na demanda da região [incluindo América do Sul], e não apenas no Brasil”, afirma Tellechea. Ele ressalta também que o crescimento do consumo de PP é, em média, três a três vezes e meia maior do que a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) nacional. Por isso, o esperado crescimento da economia nacional poderá ser o principal motor para a expansão da demanda interna pela resina.
Os investimentos da IPQ neste ano totalizarão US$ 30 milhões, sendo que cerca de US$ 20 milhões serão direcionados à compra e instalação de uma extrusora. Os aportes, em 2006, foram de R$ 16,3 milhões, o que evidencia a tendência de ampliação de investimentos por parte da companhia.
Balanço
As vendas de resinas termoplásticas da IPQ no ano passado registraram alta de 12%, para 636,1 mil toneladas. Para este ano, a expectativa de Tellechea é de que a demanda volte a apresentar forte expansão, como ocorreu em 2006. As vendas da companhia ao mercado interno totalizaram 406,9 mil toneladas em 2006, contra as 370,5 mil toneladas comercializadas domesticamente em 2005. (Fonte: DCI)