Petróleo no menor nível em 19 meses
11/01/2007

O preço do petróleo do tipo leve (WTI) caiu ontem para o nível mais baixo dos últimos 19 meses em Nova York. O recuo deveu-se principalmente ao aumento das reservas de gasolina e destilados nos Estados Unidos. Os contratos do barril para entrega em fevereiro encerraram o pregão em queda de 3%, cotados por US$ 54,02. Em Londres, os contratos também para fevereiro recuaram 2,8% , para US$ 53,69.

Segundo o Departamento de Energia americano, as reservas de petróleo caíram na última semana em 5 milhões de barris, para 314,7 milhões. As reservas de gasolina, por sua vez, cresceram 3,8 milhões de barris, para 213,3 milhões. As reservas de petróleo e produtos refinados nos EUA, incluída a Reserva Estratégica, alcançaram na semana passada 1,719 bilhão de barris, ante 1,712 bilhão da semana anterior.

RELATÓRIO

Um eventual choque nos preços do petróleo é um dos três maiores riscos para economia mundial, de acordo com um estudo divulgado ontem em Londres pelo Fórum Econômico Mundial. 'Um sério choque na oferta do petróleo pode acontecer a qualquer momento', disse Jacques Aigrain, executivo-chefe da seguradora Swiss Re, uma das patrocinadoras do estudo. 'Ele poderia empurrar a economia mundial para uma recessão, causando perdas de até US$ 1 trilhão na renda mundial.' Outros dois fatores destacados pelo trabalho são o terrorismo e o meio ambiente.

Aigrain observou que o petróleo e a mudança climática são temas relacionados. 'Uma efetiva mitigação do risco de mudança climática poderá resultar em maior resistência aos choques nos preços do petróleo nos países ricos através da adoção de fontes de energia alternativa', disse. 'Mas uma postura inadequada na questão ambiental quase certamente se tornará fonte de guerras civis e entre Estados nos próximos 50 anos.' O estudo propõe, com urgência, a formulação de um acordo sucessor para o fracassado Tratado de Kyoto. (Fonte: O Estado de S. Paulo)