Indústrias apostam em produtos inovadores
21/12/2006

As cadeias do plástico e alumínio conquistam espaço crescente na indústria da construção civil com produtos inovadores e competitivos. Com participações acentuadas nas instalações das edificações, integrantes dessas cadeias avaliam que chega a existir muito mais integração do que concorréncia entre produtos destinados às obras civis, como é o caso dos criados à base de plástico e aço.



"Numa edificação, o aço é mais utilizado principalmente nas estruturas, enquanto o plástico nas janelas, paredes, tubos, conexões, pisos e revestimentos. Por isso, não considero que haja concorrência de vida ou morte entre esses produtos na construção. Eles são complementares nesse setor", diz Luciano Nunes, gerente de inovação e desenvolvimento da Braskem, a maior petroquímica do país.



Entre os vários produtos de plástico destinados à construção, todos de PVC - policloreto de vinila -, se destacam as janelas à base da resina petroquímica. "No futuro, as janelas de PVC e as de aço vão competir com intensidade nos mesmos nichos de mercado", prevê Nunes. As janelas de PVC destinam-se às construções de padrão médio e alto. É um material com preço elevado em comparação ao do aço, que tem boa aceitação e presença nas edificações de baixa renda por causa do valor menor. Segundo Nunes, o desafio da cadeia do plástico é criar janelas de PVC mais simples, com preços menores, para que possam se expandir no mercado de baixa renda.



"Essas janelas têm como principais atributos as elevadas capacidades de isolamentos térmico e acústico", diz Nunes. Em razão desses atributos, da facilidade de manutenção, resistência à corrosão, facilidade de manuseio e preços competitivos, os produtos de PVC têm conquistado espaço na construção. Tanto que, 65% da produção da resina é absorvida pelo setor de edificações, devendo apresentar crescimento de 8% neste ano frente a 2005.



As principais aplicações do alumínio na construção civil são de produtos extrudados, usados na produção de esquadrias residenciais e comerciais, além de produtos laminados, usados na fabricação de revestimentos e telhas. "As qualidades mecânicas e físicas do alumínio o tornam um matéria-prima ideal para a fabricação de esquadrias leves, duráveis e com mais tecnologia em termos de componentes", diz Anderson Oba, gerente de produtos para a construção civil da Alcoa América Latina, líder do mercado de mineração no Brasil.
Com infinita capacidade de reciclagem, produtos de alumínio já são usados em fachadas de prédios comerciais. "Com a utilização da linha de produtos para o segmento de fachadas, as edificações com essas características podem ser construídas em menos tempo, com redução de mão-de-obra e muita qualidade", diz Eduardo Vieira Gerosa, gerente comercial da Alcoa América Latina. (G.C.) (Fonte: Valor Econômico)