BNDES empresta R$ 566,2 mi para Petroquímica Paulínia
11/12/2006

A Petroquímica Paulínia, uma joint-venture entre Braskem e Petroquisa (subsidiária da Petrobras), vai receber do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) um empréstimo de R$ 566,2 milhões para investir na construção de uma fábrica de polipropileno, em Paulínia (SP). A nova unidade terá capacidade de produção de 350 mil toneladas ao ano, com início de operação previsto para 2008. Do total da produção, 60% será destinada ao mercado da região Sudeste, mas uma parte também será exportada.



Os recursos do BNDES correspondem a 62,8% do investimento total do empreendimento, de R$ 900 milhões. A fábrica será instalada ao lado da refinaria da Petrobras de Paulínia, a Replan e está próxima à refinaria Revap, também da Petrobras, em São José dos Campos (SP).



As duas refinarias da fornecerão propeno para a petroquímica. O polipropileno é utilizado como matéria-prima de produtos como fibras para carpetes, insumos para fraldas, peças automotivas, utensílios médicos e embalagens para alimentos.



De acordo com o BNDES, a nova planta petroquímica vai utilizar uma tecnologia de produção de polipropileno de baixo impacto ambiental, já utilizada pela Braskem em suas unidades no pólo petroquímico de Triunfo. A empresa planeja implantar projetos ambientais na área no valor de até R$ 9 milhões, financiados pelo BNDES.(Fonte:G1 On Line)