Exportações de itens químicos têm alta de 17% no ano
23/10/2006

Os fabricantes de produtos químicos instalados no Brasil exportaram US$ 6,4 bilhões nos nove primeiros meses deste ano, valor 17,1% superior ao registrado em igual período de 2005, segundo dados da Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim).

Com o resultado consolidado do terceiro trimestre, a entidade reviu sua previsão de exportações para este ano. “Antes projetávamos um valor em cerca de 15%, mas já acreditamos que as vendas externas terão alta de 20% em 2006”, afirma o gerente de assuntos de comércio exterior da Abiquim, Renato Endres.

Mesmo com a elevação das exportações, o déficit brasileiro na balança comercial apresentou alta de 2,2%, atingindo US$ 6 bilhões entre janeiro e setembro, em relação aos nove primeiros meses de 2005. O resultado é consequência da expansão de 9,4% nas importações, que atingiram US$ 12,4 bilhões. A média das exportações brasileiras de produtos químicos chegou a US$ 714 milhões por mês, contra média mensal de US$ 1,4 bilhão no caso das importações.

Segundo o gerente da Abiquim, os itens que se destacam na pauta de exportações do setor são as resinas termoplásticas, o silício e a alumina calcinada. “Além do aumento de produção no Brasil, as empresas estão aproveitando o aquecimento do mercado externo”, afirma o executivo.
Em volume, as vendas externas brasileiras atingiram 6,9 milhões de toneladas em produtos químicos, uma elevação de 9,9% na comparação com igual período de 2005. Entre as importações, o aumento foi de 4%, para 15,1 milhões de toneladas. (Fonte: DCI)