Siresp: Venda Interna de resinas deve crescer mais de 10% no ano
30/08/2006

As vendas internas de resinas deverão crescer mais de 10% (em volume) neste ano, segundo estimativa do presidente do Sindicato da Indústria de Resinas Plásticas (Siresp), José Ricardo Roriz Coelho. No acumulado de janeiro a julho, as vendas domésticas de termoplásticos totalizaram 1,947 milhão de toneladas, uma alta de 17,4% na comparação com igual intervalo de 2005.


"Tendo em vista o desempenho até o momento, é possível afirmar que as vendas internas vão crescer mais de 10% em relação ao ano passado", afirmou Roriz. Conforme o presidente do Siresp, até o momento, os volumes vendidos no terceiro trimestre, sazonalmente o mais forte para a indústria, estão dentro da expectativa.


O aquecimento da demanda doméstica, aliado aos aumentos de preços das resinas no mercado internacional, tem facilitado a implementação de reajustes por parte dos produtores locais. Para setembro, comentou Roriz, a indústria anunciou alta de US$ 200/tonelada, em média, para todas as resinas. Neste mês, as companhias já haviam emplacado reajustes de US$ 150/tonelada a US$ 200/tonelada de acordo com o tipo de produto. "Há vários fatores internacionais que estão contribuindo para isso", acrescentou.


Conforme Roriz, nas últimas quatro semanas, os preços internacionais das resinas subiram cerca de US$ 200/tonelada, influenciados pelo forte crescimento das economias chinesa (12%) e indiana (acima de 9%) no segundo trimestre; pelo verão de temperaturas elevadas nos Estados Unidos e na Europa, o que estimulou o consumo de descartáveis e de produtos que levam embalagens plásticas e se refletiu na redução dos estoques da indústria; e pela formação de estoques preventivos nos Estados Unidos em razão da nova temporada de furacões. "Na China, por exemplo, os preços das resinas estão batendo o recorde dos últimos 10 anos", afirmou.


Esse movimento, explicou o presidente do Siresp, chegou ao País com algum atraso. "Agora há boas condições de mercado, com vendas internas aquecidas e mais oportunidades de exportação, o que possibilita o reajuste dos preços", comentou Roriz. No acumulado de janeiro a julho, segundo dados do sindicato, as exportações brasileiras de termoplásticos totalizaram 585,9 mil toneladas, equivalente a um crescimento de 7,1% em relação a igual intervalo de 2005. (Fonte: Agência Estado)