PFFCA da Politeno beneficia escolas públicas
03/02/2006

Mais de três mil alunos da rede municipal de Camaçari foram beneficiados pelo Programa de Fomento e Formação da Cultura Ambiental da Politeno, nos últimos dois anos. O programa desenvolvido em parceria com o Serviço Social da Indústria (Sesi) e a Prefeitura do município está capacitando professores e alunos na metodologia de construção da agenda ambiental, um dos requisitos previstos pela Agenda 21, elaborada na Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente (Eco-92), para mudar o atual modelo de desenvolvimento, focando a necessidade de preservação dos recursos naturais.


O projeto piloto implantado, em 2004, na Escola Normal de Camaçari (ENC) e transformado em uma cartilha, para distribuição gratuita em escolas da rede pública de educação, foi estendido a quatro unidades de ensino, em 2005; colégios Félix Joaquim de Moraes, São Tomaz de Cantuária, Luis Pereira Costa e Cleuza Maria. Para este ano, a perspectiva é de ampliar ainda mais o raio de ação do programa, considerado pioneiro por educadores e especialistas da área. Isto, porque, diferentemente de outras experiências do gênero, a metodologia do PFFCA está sendo inserida no planejamento pedagógico, garantindo o compromisso de toda a comunidade escolar com sua efetiva realização, segundo explica a gerente do Sesi-Rio Vermelho, Angélica Ribeiro.


O superintendente do Sesi-Ba, Manoelito Souza, disse que “as ações desenvolvidas pela Politeno, através do PFFCA constituem-se em um bem sucedido exemplo de responsabilidade social”. Acrescentou também que “o programa trata de um tema que é prioritário para a instituição Sesi, que é a questão ambiental”.
O diretor superintendente da Politeno, Jaime Sartori, o PFFCA é “uma extensão das boas práticas de gestão da empresa, cujo Sistema de Segurança, Saúde e Meio Ambiente (SMS) possui, reconhecidamente, padrões de excelência internacionais”. Em dois anos de programa, a Politeno investiu em torno de R$ 100 mil, com a contratação de especialistas para ministrarem as oficinas de papelamento, pintura de escolas, instalação de lixeiras de coleta seletiva, hortas comunitárias, entre outras ações.


Especialista em Educação Ambiental e uma das responsáveis pela implementação PFFCA, Cristina Vieira faz uma avaliação positiva do programa: “O PFFCA está despertando a comunidade escolar para trabalhar com a questão ambiental no seu cotidiano, uma questão que diz respeito a todos nós. É uma iniciativa que trabalha valores fundamentais através da cidadania ativa”, destaca.


A analista de recursos humanos da Politeno, Auxilliadora Moraees (Agesp), disse que “os resultados do PFFCA têm sido identificados pela mudança comportamental de alunos, relatada por professores, com reflexos no aspecto visual das escolas, algumas inclusive pintadas, com coleta seletiva instalada, entre outras melhorias” efetuadas a partir do programa”, destacou.