Produção industrial cresce em oito dos 14 locais pesquisados em julho
02/09/2011

De junho para julho de 2011, a produção industrial cresceu em oito dos 14 locais investigados pelo IBGE, na série ajustada sazonalmente. Amazonas (4,3%) apontou a maior expansão, eliminando a perda de 3,6% observada no mês anterior, vindo a seguir Paraná (3,8%), Pará (3,7%), Rio Grande do Sul (2,7%), Rio de Janeiro (2,4%), Goiás (1,4%) e São Paulo (1,3%) – todos com crescimento acima da média nacional (0,5%).

Minas Gerais (0,1%) praticamente repetiu o patamar de junho. Foram registrados resultados negativos, na passagem de junho para julho, em Santa Catarina (-0,7%), Pernambuco (-0,7%), região Nordeste (-1,8%), Ceará (-2,0%), Espírito Santo (-2,0%) e Bahia (-6,8%).

Na comparação com o mesmo mês de 2010, o setor industrial nacional mostrou variação negativa de 0,3% em julho, com taxas negativas em sete dos 14 locais investigados. Vale citar que julho de 2011 (21) teve um dia útil a menos que julho de 2010 (22).

Nessa comparação, a maior queda foi registrada no Ceará (-19,2%), pressionado pela maior parte dos setores investigados. Em seguida, vieram Santa Catarina (-8,0%), região Nordeste (-7,2%), Bahia (-4,4%), Rio de Janeiro (-2,2%) e Rio Grande do Sul (-2,0%). Minas Gerais também teve resultado negativo (-0,2%). Por outro lado, Goiás (14,3%), Pará (9,6%), Amazonas (5,8%), Paraná (5,7%) e Espírito Santo (3,1%) tiveram as expansões mais elevadas, enquanto Pernambuco (1,4%) e São Paulo (1,1%) apontaram avanços menos intensos.