Braskem negocia convênio com Fatec
01/09/2011

A Braskem está próxima de fechar convênio com a Faculdade de Tecnologia de Mauá, para que a escola ofereça gratuitamente o acesso aos laboratórios do curso de tecnologia do plástico para as pequenas empresas do ramo, localizadas na região. A iniciativa deverá fazer parte do investimento social da companhia, que vem como contrapartida ao suporte financeiro do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social à expansão da produção - orçada em R$ 1,2 bilhão - realizada pela antiga Quattor.

O grupo petroquímico se comprometeu com o BNDES a aportar R$ 4,9 milhões em diversos projetos. Um deles, de cerca de R$ 1,6 milhão, contribuiu para equipar três laboratórios da Fatec no município. São equipamentos de última geração, entre eles um microscópio eletrônico de varredura e um espectofotômetro, que podem servir para o desenvolvimento de produtos das fabricantes. Essas instalações devem ser inauguradas no final de setembro.

O diretor da escola, Silvio Tado Zanetic, explica que os itens permitirão verificar a constituição do material e suas propriedades (como a resistência mecânica), entre outras demandas da indústria para a especificação dos produtos.Ele acrescenta que, no futuro, a intenção da faculdade é se capacitar para emitir laudo e atestar, com certificação de qualidade, os itens das empresas.

Outro investimento social que faz parte da contrapartida ao BNDES, é a construção de um centro de triagem e coleta seletiva, para destinar resíduos para reciclagem, para o qual a Braskem aporta R$ 1 milhão. Nesse caso, o local deve entrar em operação no fim do ano.
Para isso, a prefeitura entrou como parceira, com a doação do terreno no bairro Capuava e a seleção de 40 pessoas que vão trabalhar em duas cooperativas. Para preparar esse pessoal, a administração municipal vai firmar convênio com o Senai, para capacitá-los na atividade. Os cursos serão bancados pela petroquímica.