Banco Central vê cenário inflação mais favorável
16/06/11

O Comitê de Política Monetária (Copom) vê um cenário mais favorável para a inflação, segundo a ata da última reunião divulgada nesta quinta-feira (16/6).

Na reunião, realizada nos dias 7 e 8 de junho, o comitê da autoridade monetária decidiu por unanimidade elevar a taxa básica de juros (Selic) em 0,25 ponto percentual, para 12,25% ao ano.

"O Copom entende que o cenário prospectivo para a inflação, desde sua última reunião, mostra sinais mais favoráveis", diz o documento.

Trata-se de uma mudança de discurso em relação aos comunicados anteriores, em que a autoridade monetária havia destacado uma inflação ainda "persistente", sem mostrar evolução favorável.

O recuo nos preços das commodities foi apontado como um dos fatores positivos da inflação. "Observou-se recuo nos preços de importantes commodities, notadamente das agrícolas e, ao mesmo tempo, certa estabilidade na cotação da moeda americana", diz a ata.

O Copom reiterou sua previsão de que a inflação acumulada nos 12 meses deve permanecer elevada até o terceiro trimestre do ano, voltando a recuar apenas no último trimestre de 2010.

No trecho da ata enviado logo após a reunião, o BC voltou a afirmar que o ciclo de alta de juros deve ser "suficientemente prolongado", o que foi entendido pelo mercado como sinal de uma nova alta de juros na próxima reunião.

A próxima reunião do Copom ocorre nos dias 19 e 20 de julho.

A autoridade monetária projeta um cenário de desaquecimento no crédito, com as recentes altas de juros e medidas macroprudenciais, e voltou a pedir moderação ao governo na concessão de empréstimos subsidiados.

"O Comitê considera oportuna a introdução de iniciativas no sentido de moderar concessões de subsídios por intermédio de operações de crédito".