Basf e Ineos formam joint venture para estirênicos e concorrem com a Unigel
01/06/2011

A brasileira Unigel acaba de ganhar uma nova concorrente no mercado mundial de estirênicos: a Styrolution, empresa originada da joint venture entre Basf e Ineos. A ideia é que a nova empresa combine atividades globais nos negócios de monômeros de estireno (SM), poliestireno (PS), acrilonitrila butadieno estireno (ABS), estireno-butadieno copolímeros (SBC) e outros copolímeros à base de estireno (SAN, AMSAN, ASA, MABS), bem como blendas de copolímeros. O segmento de poliestireno expansível não faz parte da transação. A Basf e a Ineos vão reter os respectivos negócios. - A sede da empresa será localizada em Frankfurt, na Alemanha. Na joint venture, 50% das ações pertencerão à Basf e 50% à Ineos. A Basf receberá um valor, não divulgado pela empresa, como pagamento para que a transação de complete.

A parte da Basf na joint venture incluiu SM, PS, ABS, SBC e copolímeros à base de estireno e, por isso, envolverá as unidades produtivas localizadas na Alemanha (Ludwigshafen, Schwarzheide), Bélgica (Antuérpia), Coréia (Ulsan), Índia (Dahej) e México (Altamira). Hoje, a Basf emprega aproximadamente 1.460 pessoas no negócio de estirênicos e gerou vendas de cerca de 3,9 bilhões de euros no ano passado.

Por sua vez, a Ineos pretende contribuir com sua produção de ABS nas unidades na Alemanha (Colônia), Espanha (Tarragona), Índia (Vadodara) e Tailândia (Map Ta Phut). Além disso, Ineos vai contribuir com seus negócios de SM e PS na joint venture, o que inclui as unidades produtivas da Ineos e da Ineos Styrenics no Canadá (Sarnia), nos EUA (Indian Orchard, Joliet, Decatur, Texas, Bayport), na Alemanha (Marl), na França (Wingles) e na Suécia (Trelleborg). Atualmente, a Ineos emprega cerca de 2.200 pessoas nas atividades de estirênicos e gerou cerca de 2.8 bilhões de euros em vendas em 2010.

Além disso, a Basf e a Ineos vão continuar operando independentemente até a total conclusão do acordo, esperada para 2011, e está sujeita à aprovação pelas autoridades antitruste responsáveis.

Os estirênicos são usados principalmente em produtos para casa e escritório, para aparelhos elétricos e de comunicação, além de embalagens.

Na semana passada, a Unigel anunciou que investirá até US$ 400 milhões em uma nova planta no México. Com o novo aporte, a companhia, de capital nacional, informou que conseguirá driblar os altos custos das materias primas, principalmente, do gás natural, aqui no Brasil e ainda dar sequência ao seu processo de internacionalização.