Braskem planeja internacionalizar
27/01/2011

A Quantiq, unidade de distribuição de produtos químicos da Braskem adquirida do Grupo Ipiranga, quer se internacionalizar e fazer aquisições. Esses dois itens formam a base de uma estratégia de expansão que tem como meta proporcionar um crescimento anual de 24% nos próximos anos. O primeiro passo ocorreu nos primeiros dias deste ano, quando a empresa oficialmente incorporou a Unípar, distribuidora que pertencencia ao Grupo Unípar. Só com essa medida, a companhia passou a projetar um faturamento de R$ 1,3 bilhão para este ano, o que deverá significar um crescimento de cerca de 35% no resultado somado das duas empresas em 2010. “Há uma grande possibilidade de crescimento no negócio de distribuição no Brasil, até por ele ser bastante fragmentado.

A Quantiq quer ter o papel de um agente consolidador no segmento”, diz o presidente da empresa, Fernando Rafael Abrantes. O executivo relata que as aquisições e o processo de internacionalização devem começar no segundo semestre deste ano.

A distribuição é um negócio mundial de cerca de US$ 140 bilhões. Na Europa e nos Estados Unidos, de 15% a 20% de toda a matéria-prima vai para a indústria por meio da distribuição. “No Brasil, esse número está na casa dos 11%. Então existe um espaço muito grande para o crescimento do segmento de distribuição aqui.”, diz Abrantes.

O processo de internacionalização começará pela América do Sul, mas o país ainda não está definido. “Trata-se de algo que vai tomar um corpo importante na nossa estratégia de crescimento”, diz o executivo. O presidente da empresa relata que muitos dos fornecedores da Quantiq, cerca de 130 empresas, atuam em diversos países, além do Brasil.

A intenção é fazer parceria com esse fornecedor em outras regiões. O outro lado da estratégia passa pelos clientes. A Quantiq quer atender no exterior as filiais de seus clientes brasileiros. “Vamos ser um elemento da estratégia dos nossos fornecedores e clientes em sua atuação na América do Sul”, afirma Abrantes. No momento, a companhia promove um alinhamento estratégico com os clientes e fornecedores para definir quais serão os parceiros no processo de internacionalização. Trabalho que deve se completar nesse semestre, para que o processo tenha início na segunda metade do ano.

A Quantiq também realiza estudos sobre as possíveis aquisições no Brasil. A meta é encontrar empresas que complementem o portfólio e geram uma maior participação de mercado. “Nossa estratégia de aquisição é baseada em empresas que representem nichos de mercado ou nichos de produto”, diz Abrantes. A Quantiq já tem uma lista de negócios atrativos, sendo que oito estão em destaque, mas os nomes das visadas ainda são mantidos em segredo.

A expansão da Quantiq surgiu como possibilidade quando a Braskem decidiu não mais se desfazer do negócio, após ter colocado a empresa à venda em meados de 2010. “A visão da Braskem para 2020 é ser um líder na química sustentável. Depois desta decisão, a sinergia entre as empresas passou a ser importante. Nossa situação no grupo mudou”, diz Abrantes. Paira conseguir executar seu plano de expansão sem que o cotidiano operacional seja prejudicado, a Quantiq criou uma diretoria de Novos Negócios, que já está sob o comando de João Miguel Chamma, ex-diretor da divisão Químicos da empresa.

Essa diretoria estará focada também na internacionalização e nas aquisições, segundo Abrantes, presidente da Quantiq. “O foco dessa equipe é acelerar esse programa de investimentos.”