Braskem retoma sua capacidade
29/06/2009

A Braskem, maior fabricante de produtos petroquímicos da América Latina, teve de tomar uma decisão inédita em sua história no final do ano passado, reduziu sua produção a 55% da capacidade, preocupada com a queda no consumo de mercados-chave, como a China e os Estados Unidos. A medida drástica tomada pela companhia também foi motivada pela perspectiva de uma dramática chegada da crise financeira global ao Brasil nos meses seguintes. A realidade, porém, acabou se mostrando diferente. O mercado doméstico continuou aquecido para a companhia e o resultado foi que, em fevereiro, apenas dois meses depois de reduzir sua produção, a Braskem já havia voltado aos níveis pré-crise, com utilização de 90% de sua capacidade. Hoje, a reação rápida é motivo de orgulho para a companhia. "Tivemos agilidade para resolver nossas questões de caixa e estoque, o que nos permitiu voltar mais competitivos ao mercado", diz o presidente da empresa, Bernardo Gradin, que teve de lidar com toda essa turbulência menos de quatro meses após ter assumido o comando da companhia. Segundo Gradin, a Braskem deve responder a esse desafio buscando novos mercados. E a América do Norte é o alvo principal. "Nosso caminho natural é seguir para os Estados Unidos", diz o executivo. "Já estamos olhando alguns ativos por lá."

(Fonte: O Estado de S. Paulo)