Repsol quer manutenção de regra para petróleo
08/06/2009

O Rio de Janeiro poderia se transformar em um Houston 2, um dos maiores centros petrolíferos do mundo. Mas, para isso, é preciso ter coragem e não modificar muito o atual marco regulatório do setor. A afirmação é de Javier Moro Morán, que assumiu em março a presidência da Repsol Brasil. Segundo ele, o marco regulatório atual do Brasil, baseado no regime de concessões definidas em leilões, funciona muito bem, a exemplo do de Houston, nos Estados Unidos. "Mas tem de ter coragem para não mexer no atual modelo. As mudanças devem ser feitas em nível consensual, com todos os envolvidos opinando. Políticas públicas têm de ser consensuais", afirma Morán. Desde a descoberta do pré-sal, o governo está discutindo um novo marco regulatório para a exploração de petróleo. A crise econômica e a queda do preço do petróleo retardaram a conclusão dos estudos. O que a Repsol espera, no entanto, é uma definição sobre as novas regras para poder traçar seu plano de investimentos. A empresa participa com a Petrobras de diversos blocos de exploração de petróleo, inclusive na camada do pré-sal, e pretende fazer investimentos pesados no país, principalmente a partir de 2010. Em 2009, está investindo US$ 400 milhões em projetos de exploração de petróleo. O Brasil é uma de suas cinco áreas estratégicas. As outras são Líbia, Argélia, golfo do México e Peru. Para 2010, os investimentos podem superar US$ 3 bilhões.

(Fonte: Folha de S. Paulo)