Plásticos Biodegradáveis da Basf mostram versatilidade na aplicação e no processamento
11/05/2009

A linha de biodegradáveis da Basf é formada por três plásticos: Ecoflex®, Ecovio® e EcobrasT, todos apresentam biodegradabilidade e compostabilidade quando dispostos em ambientes próprios para a compostagem. O Ecoflex®, plástico desenvolvido na Alemanha, não deixa nenhuma substância tóxica no solo ao se decompor, o que torna o produto biocompatível e completamente compostável. Já o EcobrasT, desenvolvido no Brasil em parceria com a Corn Products International, além das características acima destacadas, traz em sua composição matéria-prima de fonte renovável. O plástico é uma blenda de Ecoflex® com amido de milho e durante a decomposição comporta-se como um composto orgânico normal. O produto foi eleito uma das dez maiores inovações brasileiras da última década, de acordo com a pesquisa "O Brasil que inova", realizada pela Revista Exame e pela consultoria Monitor, publicada no mês de março. O Ecovio® é uma resina com base renovável, o PLA (Ácido Polilático), que é derivado do milho. "O Ecovio® contribui para o desenvolvimento sustentável de toda a cadeia de plásticos ao balancear o tempo de produção do plástico ao seu consumo e decomposição", afirma Letícia Mendonça, gerente de especialidades plásticas da Basf. Os plásticos biodegradáveis e compostáveis da Basf podem ser processados da mesma maneira que os plásticos convencionais e, dentre suas possíveis aplicações, pode-se citar a extrusão de filmes, chapas, monofilamentos e a sopro, termoformação a vácuo, injeção e colaminação com papel. Versáteis, podem ser aplicados em embalagens injetadas, filmes para a produção de tubetes, sacolas plásticas, embalagens para cosméticos, embalagens alimentícias, além de outras alternativas.

(Fonte: Revista Meio Filtrante)