Fabricantes de resinas plásticas dizem que demanda dá sinal de retomada
05/05/2009

Com os estoques na cadeia do plástico praticamente normalizados, as empresas já sentem uma retomada da demanda interna, prevendo um forte aquecimento do mercado no segundo semestre. Depois de amargar queda superior a 25% do volume no fim do ano passado e início deste ano, os produtores de resinas plásticas já percebem sinais de recuperação nos meses de março e abril. Durante a Brasilplast, feira do plástico, realizada nesta semana em São Paulo, eles avaliam que as vendas poderão atingir os mesmos níveis encontrados em 2008 ou até mais. "A reação do mercado doméstico é fundamental não só para absorver a capacidade, mas também para viabilizar o investimento", diz Vitor Mallmann, presidente da Quattor. Com a retomada da demanda interna, a rentabilidade deve ser recuperada. "Não há mais crise no setor de resinas", diz o presidente da Braskem, Bernardo Gradin. Segundo o executivo, o volume de estoques está se normalizando. A petroquímica já avalia que os pedidos estão crescendo num ritmo mais acelerado. Gradin ainda afirmou que a reação do mercado até o fim do ano será maior, prevendo um resultado positivo para 2009. Segundo o diretor comercial de plásticos da Dow Brasil, Diego Donoso, as vendas foram regularizadas em março aos mesmos níveis de 2008, indicando uma reposição de estoques com preços mais baixos depois da queda do preço dos derivados de petróleo.

(Fonte: Valor Econômico)