Basf e GTZ firmam parceria contra subnutrição
30/03/2009

A Basf, líder mundial no setor químico, e o Órgão Federal Alemão de Cooperação Técnica Internacional (GZT, na sigla em alemão) firmaram parceria com o objetivo de amenizar as condições de subnutrição humana, por meio da adição de vitamina A em alimentos básicos como óleo e arroz. De acordo com as instituições, Brasil e Bolívia serão os focos da parceria na América do Sul. Outros cinco países em todo mundo também fazem parte da área de atuação prevista pela instituição. De acordo com o Coordenador de Negócios e Nutrição Humana para a América do Sul da Basf, Mauricio Capelossi, e o Consultor da GTZ no Brasil, Vitor Seravalli, a parceria está prevista para durar até 2011, e os investimentos em pesquisas, tecnologia e negociações deverão ser da ordem de € 1 milhão. "A parceria tem prazo previsto para terminar, porque pretendemos desenvolver um projeto autossustentável", explicou Seravelli. "Nossa intenção é incentivar a adição de vitamina A nos produtos; tornar a iniciativa viável por meio de negociações com empresas privadas e regulamentada através do governo e depois o projeto deverá caminhará sozinho", completou Capelossi. A Basf será a fornecedora da vitamina para as companhias e responsável pela parte de negociação com o setor privado. Já o GZT deverá focar nas relações com o governo. "Ainda não há data prevista para que os alimentos comecem a ser fortificados. Para que a adição seja regulamentada dependemos da boa vontade governamental", disse Seravalli. A fortificação do alimento deverá ter aumento de custo no produto final entre 1% e 1,5%. "Daí a necessidade de ser uma medida regulamentada. Se a adição da vitamina for voluntária (praticada por apenas algumas empresas) o projeto se tornará insustentável, já que as companhias que aderirem terão mais gastos com a produção. Haverá concorrência desleal, e o objetivo de colocar o produto fortificado na mesa das classes desfavorecidas fracassará", completou o representante da GTZ.

(Fonte: InvestNews)