Câmbio e nafta devem sustentar indústria petroquímica em 2009
16/02/2009

As incertezas quanto à magnitude dos impactos da crise mundial, nos principais setores demandantes de resinas e à trajetória do câmbio e dos preços internacionais e nacionais, tornam pouco claras as perspectivas para o setor petroquímico neste ano. Se o desempenho dos principais consumidores - indústria automobilística, alimentos, bebidas e construção civil - deve ser modesto, a desvalorização do real e a queda nos preços da nafta podem se mostrar como fatores positivos para a indústria petroquímica brasileira. A avaliação é da consultoria Tendências Consultoria Integrada, cujos analistas projetam, diante desse cenário, um crescimento de 3,0% no consumo aparente nacional de resinas termoplásticas, com expansão de 3,8% e 2,5% para produção e vendas internas, respectivamente.

(Fonte: Agência Estado)