Petrobras busca recursos para 2010
02/02/2009

Em razão da crise global, a Petrobras vai tomar uma posição mais agressiva na busca de fontes alternativas de recursos no mercado financeiro internacional a fim de garantir os investimentos de US$ 28 bilhões previstos para 2010. "A crise muda os fluxos financeiros, e os tipos de financiamento mudam", constatou o presidente da estatal, José Sérgio Gabrielle, após uma maratona de encontros com banqueiros, representantes de indústrias do petróleo e empresários, durante o Fórum Mundial de Economia. "Várias fontes tradicionais, particularmente do mercado de bônus, encolheram muito. Bancos de investimentos e de fundos de hedge quebraram, e as operações fecharam", explicou. Para 2010, a estatal precisará trabalhar um pouco mais para fechar o pacote de investimentos. "É agora mais importante as operações financeiras lastreadas em ativos reais, os 'project finance', as securitizações (empréstimos de vendas antecipadas)", acrescentou. A Petrobras negocia com bancos de desenvolvimento de vários países para obter empréstimos vinculados a fornecimento no longo prazo. A estatal discute com instituições chinesas, americanas e japonesas para estabelecer contratos estratégicos que são acionados no momento de dificuldade de suprimento internacional de petróleo. Até agora, a Petrobras garantiu os US$ 10 bilhões do BNDES. A busca de alternativas não significa abandonar as fontes tradicionais, como a colocação de bônus. Dependerá da situação do mercado. Na semana passada, a Pemex, do México, colocou US$ 2,7 bilhões de títulos e a demanda foi três vezes maior, mas a Petrobras considerou a taxa de 8,25% muito alta. Sérgio Gabrielle diz partir de Davos "confortado" na sua estratégia de ampliar os investimentos, porque a indústria do petróleo mundialmente está com os mesmos planos. “A hora para investir é agora, para ter efeito em três anos", concluiu.

(Fonte: Valor Econômico)