Basf e DuPont pressionam governos a favor da nanotecnologia
15/12/2008

Os EUA precisam dar suporte à nanotecnologia, acreditam empresas que já utilizam nanomateriais, no seu processo de produção. E, temendo a possibilidade de o emergente setor de nanotecnologia, gerar a mesma desconfiança observada na Europa, em relação aos alimentos geneticamente modificados, empresas estão pressionando agências do governo, nos EUA e na Europa, para explicarem à população, que os nanomateriais são seguros e responsáveis ambientalmente. A Basf, que já fabrica protetor solar, químicos para construção e polímeros que incorporam a nanotecnologia, se juntou à DuPont, ao Conselho Americano de Químicos e a outros grupos da indústria, com o objetivo de contestar um relatório publicado pelo Conselho Nacional de Pesquisas, pedindo a intensificação dos esforços do governo para garantir a segurança dos materiais desenvolvidos, a partir de nanotecnologia. “O que vejo é que, conforme essa tecnologia se popularizar, os consumidores terão mais dúvidas a respeito da integridade dos materiais”, explicou Raymond David, gerente da Basf. Para ele, é imperativo que os EUA se dediquem a assegurar a integridade desses produtos, cuja fabricação envolve a manipulação de materiais milhares de vezes menores do que a espessura de um fio de cabelo humano: “estamos preocupados com a possibilidade de todos os esforços feitos nessa área, resultarem em uma má recepção do público, como aconteceu com os alimentos modificados. Há muito para ser desenvolvido com a nanotecnologia e não podemos sofrer esse preconceito”.

(Fonte: Reuters)